+100 = 22/Quantos Patos na Lagoa?

29 de janeiro de 2022 a 05 de março de 2022  abertura 29 de janeiro de 2022 às 11:00



+100 = 22/Quantos Patos na Lagoa?

+100 = 22/Quantos Patos na Lagoa?

Abertura 29 de janeiro das 11h às 17h
Exposição até 5 de março de 2022
Curadoria Izabel Pinheiro e Renato De Cara
Obrigatório uso de máscara e apresentação do certificado de vacina

“...
Contra as sublimações antagônicas. Trazidas nas caravelas.

...
Antes dos portugueses descobrirem o Brasil, o Brasil tinha descoberto a felicidade.

...”
Oswald de Andrade, Manifesto Antropófago, 1928

 

Há cem anos a Semana de Arte de 1922 fundou o movimento moderno na história cultural do país. “Semana de má morte” – escreveu depois Mário de Andrade para Carlos Drummond de Andrade.

Procurando se desvencilhar de antigos paradigmas, inventaram trejeitos para reconstruir narrativas, misturando índios, caboclos, caipiras, cortes e academias em obras que marcaram para sempre nossa literatura e as artes visuais. Um grupo abastado com acessos e recursos financeiros quis romper definitivamente com o século XIX apropriando-se de referências das vanguardas internacionais. Foi sim ressignificando Macunaímas que escritores e artistas, principal e “oficialmente” de São Paulo, manifestaram novos desejos tropicais. Mas ainda hoje parece que tudo isso não foi suficiente para acabar com a síndrome de vira-latas que perpetua-se para sempre nos bastidores e palcos dos teatros das cidades endinheiradas – centros hegemônicos dos mecanismos do mercado. Periferias continuaram pobres engolindo as corjas que como pragas continuam a sugar as riquezas de um gigante que não reage. As revoltas pontuais espalhadas por nossa história e por todo o território nacional foram sempre subjugadas e abafadas por uma elite cruel. Quando se consegue pôr um pouco o nariz para a fora o povo é empurrado de novo para as profundezas obscuras do mar de lama que assola este continente chamado Brasil.

Aproveitando a efeméride e resgatando a expressão do jogo do bingo para o número 22, não são dois, nem é só uma lagoa, são milhões de patos num maremoto tropical.

Mas outra época há de chegar. A potência individual e coletiva de alguns de nossos contemporâneos vêm inserindo e fortalecendo novas visualidades baseadas em ancestralidades e mirando um futuro mais igualitário onde compreensões de mundos possam conviver lado-a-lado. Por e para isso, a Galeria b_arco referência a Semana de 22 com artistas convidados, das mais variadas origens, cheios de cismas, acertos e coragem para mais cem anos, no anseio dessa energia revitalizada!

Renato De Cara

“O que é exótico serve apenas de condimento.”
Mário de Andrade, em carta para Carlos Drummond de Andrade, 1925


Artistas convidados:

Alexandre Ignacio Alves
Arivânio Alves
Armando Queiroz
Charles Lessa
Danilo Oliveira
Emidio Contente
Link Museu
Luís Só
Mariano Klautau Filho
Matheus Guilherme
Maura Grimaldi
Paulo D'Alessandro
Regina Johas
Renata Felinto
Renata Laguardia
Uberê Guele
Ulysses Bôscolo